14 julho 2012

Um sonho francês - 9º parte


Quando acabei de falar a madre baixou a cabeça pensou um pouco então começou a falar:
- Quando Mabelle chegou, eu já estava aqui há algum tempo eu era uma noviça como já falei  nos dividíamos quarto.
Na primeira noite dela aqui a escutei chorando baixinho, e nas duas noites que  seguiram-se também na terceira noite perguntei se era saudade da família.
Ela me contou de Odilon o rapaz que ela tinha conhecido no circo do namoro das promessas e de como ela a abandonou.
Todos falavam que ele não prestava que ele era namorador mas ela não deu bola ela o amava mais que tudo na vida.
Odilon disse que ia procurar um emprego melhor para poderem se casar e que voltaria dentro de 1 mês mais se passaram mais de 4 meses e ele nem deu noticias.
Todos disseram que ele não voltaria que ele não era homem para ela então ela veio para cá, dias depois ele apareceu mas ela não quis velo já estava muito magoada.
Mabelle passou o resto da vida aqui mas nunca o esqueceu o nome dele foi o ultimo que ela chamou antes de morrer.
Então Rafael se levantou e falou nervoso:
-  Mas ele mandou  cartas para ela.
- Mandou? Questionou a madre.
- Sim ele mandou uma carta avisando que tinha conseguido um novo emprego e que demoraria pois tinha que começar a trabalhar imediatamente.
Depois de 4 meses mandou outra pedindo que ela o encontrasse mais ela não foi nem se quer respondeu as cartas. Respondi.
- Então elas nunca chegaram até ela. Falou a madre.
Eu me levantei e agradeci a madre:
- Obrigado pela ajuda.
Ela nos acompanhou até a porta e disse:
- Tchau que Deus os acompanhe.
Quando saímos do convento lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto Rafael me perguntou:
- O que foi?
- Rafa o que eu faço agora? Será que eu devo contar para ele que ela o amava? Perguntei.
Rafael baixou a cabeça e respondeu:
- Não você não deve contar para ele.
- Por quê? Perguntei.
- Eu preferia acreditar que a mulher que eu amo me deixou porque não me amava do que saber que ela morreu me amando.
Então ele levantou a cabeça colocou as mãos em meu rosto secou minhas lágrimas e me abraçou. 

2 comentários:

Mariana Baptista disse...

Conheci seu blog hoje, e comecei a ler desde o começo o "Um Sonho Frances". Estou gostando bastante, e te confesso que me emocionei com a história principalmente com essa parte.
Agora estou pensando se concordo ou não com o que Rafael disse, que ela não deveria contar... Enfim, sei lá, mas espero as próximas partes!

Beeijo
http://semquerermeintrometer.blogspot.com.br/

Mary M. Gonçalves disse...

Vou contar um segredo: Quando eu estava escrevendo essa parte foi minha maior duvida.
Tentei olhar a situação pelos olhos do Rafael e pensar em como Odilon se sentiria ao saber a verdade.
Bjxxx