15 julho 2015

Clichê


Essa história que eu vou contar parece um clichê e talvez realmente uma história como muitas outras que se repetem todos os dias.
É uma história sobre uma garota teimosa que não queria se envolver muito menos apaixonar-se, pois as feridas do passado não a deixavam confiar em ninguém. É sobre um cara teimoso já desacreditado no amor.
Ele viu aquela garota linda e foi tomado pelo desejo, ela teimosa o rejeitava e quanto mais ela o rejeitava mais ele a deseja. A garota tentou resistir o quanto pode, mas química entre os dois era muito forte e a física a puxava para os braços dele. Era pra ser uma historia como aqueles filmes “Sexo sem compromisso “ e “Amizade colorida” ela acreditava que seria só mais uma na lista dele  e ele que logo enjoaria dela.
Mas como evitar o inevitável nós não mandamos no  coração, por mais que a gente jure que não vai se envolver, que não vai se apaixonar sempre aparece alguém pra nós fazer quebrar o juramento. 
Algum tempo passou e ele não enjoou dela e ela por sua vez não se contentava, mas em ser só mais uma na lista começou a querer ser a única. Começaram as primeiras crises de ciúmes ela irritada e ele agressivo a primeira briga acabou com um beijo.
Já tinha se passado um ano ele disse “Que não podia negar que gostava de verdade dela que não queria mais garota nenhuma no mudo só ela.” ela por sua vez disse “ Eu te amo!” com os lábios tremendo.
E assim começou “Ah o começo o maior êxtase da paixão, nada é tão bom como no começo“. Lá estavam eles agarrados no sofá escolhendo a cor da lingerie do casamento que nunca aconteceu, planejando o filho que nunca puderam ter.
Ele começou a ser menos agressivo e a tentar se comportar e ala tentar se soltar e topar as loucuras dele um mudou para fazer o outro feliz. Talvez eu devesse dizer que não se deve mudar por amor, mas acho que na verdade não mudamos por amor é o amor que nos muda. Buscamos ser o melhor de nós mesmos por que acreditamos ter o melhor do outro.
Com o tempo o amor foi se desgastando ela já não conseguia topar todas as loucuras dele e  ele era egoísta de mais pra enxergar os esforços dela e só via os erros. Ela se distanciou e por sua vez começou a sentir ele mais distante.
Ele a traiu e com o resto de dignidade que tinha assumiu o erro. Se tivesse sido atropelada por um caminhão teria doído menos as lagrimas corriam por sua face e pela primeira vez ela conseguiu rejeitar o homem que jamais tinha rejeitado.  Ele pediu perdão disse que estava arrependido, mas ela cega demais pelo ódio e pela magoa não deu ouvidos, jogou verdades na cara dele.
Ele jurou que nunca mais ia magoa-la que ia sumir de sua vida porque não aguentaria vê-la sofrer novamente. Quando ele abriu a porta ela disse entre lágrimas que morreria se ficasse longe dele, ele ignorou e saiu. Chorou a noite e ela também os dois mal pregaram olho cada um sofreu no seu canto.
No dia seguinte ela que era muito orgulhosa correu atrás dele em três dias ela perdeu os seus dois amores ele e o seu amor próprio.
Depois de uma semana eles conversaram e chegaram a conclusão que chegou o final mais um amor que se foi mais lagrimas. Essa não é uma história com um final feliz é uma história com um começo e um meio feliz, não é nem realmente uma história com um final porque a vida dos dois ainda segue. Talvez os dois ainda se encontrem e reatem os antigos laços, talvez um dele conheça alguém e o outro não, talvez os dois se apaixonem por outras pessoas.
Não sei como acaba a história dos nossos protagonistas, mas de uma coisa eu sei ninguém morre literalmente de amor o sofrimento nos ensina aprender com os próprios erros. O amor é a coisa mais magica que existe no mundo capaz de nos render as melhores lembranças e os momentos mais fervorosos. Se eu fosse deixar uma mensagem pra vocês eu diria: “Ame, erre, sofra, chore, aprenda com seus erros, mas nunca deixe de amar pois o amor é o combustível da humanidade.”




Nenhum comentário: